Eu não estou mais atualizando por um motivo muito simples: o blog vai mudar.
Eu e meu amigo Leandro somos parceiros agora aqui no blog e vamos trazer novos artigos, poemas, noticias e não sabemos ainda o que mais. Eu do alto da minha ignorancia sobre literatura arrisco escrever de vez em quando alguma coisa e só, já o Leandro é um poço de talento, pintor, escritor, desenhista, poeta e não sei mais que o cara vive me surpreendendo.
Jesus Cristo continua sendo o centro, espero vocês em breve.

Fé subjetiva

9 agosto - 2009

Jesus disse: Se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a esta amoreira: Arranca-te e transplanta-te no mar; e ela vos obedecerá.

Algumas igrejas dizem: Faça um curso de empilhadeira, trabalhe um ano e adquira muita experiência de vida, então compre uma empilhadeira e use-a para tirar a amoreira do chão e levá-la ao mar. Use todo o seu talento para planejar como vai pagar tudo isso, dê o dizimo e tenha muita Fé, mas tenha muita fé mesmo!

O que eu diria: Bonsai!

Sofro por ser assim

5 agosto - 2009

Jesus, passei óleo de peroba na cara e vim falar com você. Por que, novamente, me meti numa enrascada e não confio em ninguém mais pra me ajudar. Você sabe como que eu fico quando tenho que tomar uma decisão, é uma vontade doida de decidir, urgente, que se eu fosse paralisado um minutinho só antes de agir, eu não sofreria (todas) as  consequencias de ser impulsivo.
Quando eu fiquei sabendo daquela entrevista de emprego numa empresa melhor, eu larguei o emprego lá na fábrica na hora. Troquei o certo pelo duvidoso. Que eu não gostei de trabalhar na fábrica todo mundo sabe, alías quem que gosta? Mas só porque meu currículo foi trocado lá na agência, e eu tive “sorte” de ser contratado, todo mundo lá na igreja diz que era uma benção, que eu não estou querendo ver as coisas que o senhor está fazendo em minha vida.

Eu não estou mesmo? Por que se eu estiver enganado eu preciso saber, por que, sinceramente… sinceramente, (…) Esse emprego temporário na fábrica podia até ser o que eu precisava, mas não era o que eu queria.

Eu sei Jesus, que talvez eu não tenha todos os atributos necessários para ocupar o “melhor emprego de Campo Grande”, mas poxa, eu tenho competencia pra uma coisa melhor que colar adesivo em caixinha. Mas não foi nisso que me apoiei nesses seis longos meses de desemprego, e de caminhada contigo… Eu confio em você, em cada entrevista que eu faço, em cada currículo que eu entrego eu dizia pra você me ajudar, pra você fazer as pessoas gostarem de mim, pra você me mostrar onde melhorar e tudo isso, se eu confiasse só em mim eu não estaria aqui, eu já tinha tomado as rédeas e agido, mas… (…) foi isso o que eu fiz não é?

E agora Jesus? O que eu faço? Não sei se eu errei, não sei se esse sentimento ruim é arrependimento, o senhor poderia me ajudar, me dar uma luz? Qual seria a sua boa, perfeita e agradável vontade pra mim agora?

A criação da música
Em Ezequiel 28:12-19 há uma profecia que no devido contexto o Rei de Tiro pode ser interpretado como Satanás e como o deus deste século. O rei é descrito como que habitasse no Éden, que fora um anjo querubim ungido, perfeito em seus caminhos até que se achou iniqüidade nele, acabando por bani-lo do monte de Deus.

No versículo 12 está escrito: “…a obra dos teus tambores e dos teus pífaros estava em ti; no dia em que foste criado, foram preparados”. Isso nos faz entender que antes da criação do homem, antes da criação do mundo, quando Lúcifer ainda era um anjo adorador, a música já fazia parte do universo de Deus. A música não é criação humana, a música é divina. E para nós é um privilégio, pois aos anjos foi dada a responsabilidade do louvor, e nós a usamos como medida de adoração.

O surgimento do rock’n roll
No fim dos anos 40 fez sucesso no mundo uma nova maneira de tocar guitarra e bateria juntos. Baseado em ritmos afro-americanos, os americanos mais conservadores (e racistas) não gostaram muito desse tipo de música. O que para esses cidadãos era o som da rebeldia ou do inferno, para aqueles jovens era uma identidade, liberdade e autonomia.

Rock e os movimentos culturais
Erra quem pensa que o Rock só serve para o mau. Por vezes nos deparamos com dilemas nesse mundo. Verdades biblicas se conformando com este século.
Acontece que o diabo desde o principio tem como plano desvirtuar toda a criação, planta nas nossas mentes o engano, e faz que as pessoas acreditem que estão no caminho certo, quando estão no caminho errado.

A música é uma criação de Deus, devemos usá-la em todos os seus gêneros para O adorar. Deus gosta de  adoração, seja com o estilo musical que estiver. Mas temos que ter muita cautela, existe muita banda de rock que usa esse gênero para trazer maldição, depressão, ou simplesmente vender seu produto; Isso definitivamente não é adoração.

Não devemos confundir movimentos culturais e o que pregam com o verdadeiro sentido das coisas que pregam.

Para entender melhor isso usarei o arco-íris.
Ele foi feito para sinalizar a aliança de Deus com os homens, mas por outro lado também é usado para identificar a comunidade gay no mundo. Essa identificação não faz do arco-íris menos do que ele é para nós que sabemos da verdade. Assim também é o rock, se por muitos ele é considerado mau, para nós e pra Deus ele é uma maneira de adoração.

Seja você mesmo
E adore a Deus. Só não vale você pensar que não agrada a Deus por ser quem você é. O que pra muitos religiosos é audácia, para Deus é autenticidade. A adoração é a sua vida, use-a como ela é. Use seus gostos musicais, suas preferências, tudo em conformidade com a palavra.

Se você gosta de rock, hip-hop, tango, dança de salão, use isso para adorar a Deus… por que se Deus quisesse ser adorado apenas de uma forma Ele nos teria feito todos iguais.

Obrigado a todos os leitores, fiquem na paz.

O rock agrada a Deus?
O diabo tem poder para criar?
Existe uma forma de adorar a Deus?

Penso nessas perguntas há muito tempo. Eu gosto de rock e se alguém me perguntasse se Deus também gosta eu não teria respostas. É importante você ter convicções, mas muito mais importante é constantemente perguntar a si mesmo: qual é a razão para tê-las?

Há quem diga que o rock é do capeta, há quem seja indiferente, e há pessoas como eu, que buscam esclarecimento sobre o assunto e procura entender sob a luz da verdade.

Fiquei impressionado com a polêmica que há no meio cristão sobre o assunto. E espero não colocar mais “lenha na fogueira”, mas sim trazer a verdade a cada um de vocês.

Para uma maior compreensão, eu separei este tema em duas partes. A primeira é mais um prefácio para a segunda parte. Aqui vamos um pouquinho além da música, do rock, de mim e de você… ao inicio e fim de tudo o que existe…


A Adoração

Há uma assinatura em toda criação. Um detalhe marcado em cada obra das mãos de Deus, que sela, que identifica e que enaltece. Esse detalhe muitos diriam ser o espírito, mas o espírito está apenas sobre os seres humanos e o detalhe ao qual me refiro está em toda a criação: animais, rios, arvores, leis físicas, química, e etc.

Se você olhar a sua volta neste momento você conseguirá ver. Se olhar para o quintal da sua casa, ou quando estiver em algum lugar ao ar livre repare nas nuvens, no sol, nos pássaros, no vento… nas plantas que brotam do chão… viu?

Adoração não é apenas aquele cântico calminho que toca espontaneamente na sua igreja. Adoração não é apenas aquela oração que mais parece um poema declamado. Adoração é a apreciação de Deus. Toda a criação foi criada para a adoração, tudo foi formado com esse propósito. Você adora a Deus, quando O aprecia.

A bíblia diz que tudo veio unicamente e exclusiva de Deus, que tudo é para a Sua glória. Ele não fez nada no mundo por fazer, há um propósito por trás de casa partidinha, mesmo que pareça insignificante. E esse é o mais nobre dos propósitos: a adoração a Deus.

Fim da primeira parte

Sobre theofiluz

29 julho - 2009

Três pontos que é bom citar antes de qualquer coisa:

1. A Biblía é a verdade, em absoluto.
Tudo o que eu digo, ou os filósofos, ou os teólogos ou os dez mais sábios do planeta são opiniões.
A verdade é uma só, opiniões são várias.

2. A verdade é perfeita, eu não sou.
Isso quer dizer que eu posso estar errado quando expressar minha opinião, sinceramente errado.
Não quero fazer desse blog do tipo “só o que eu penso é o certo, os outros blogs são errados”. Tenho muito mais a aprender do que ensinar, me perdoem se eu falhar.

3. Opiniões são bem vindas!
Minha vontade é crescer junto contigo, compartilhar conhecimento, aprender, trilhar junto o caminho na luz.
Sou apenas um aprendiz e espero que esse blog seja uma benção para nós.

Até a próxima!